quinta-feira, 17 de junho de 2010

Perdão, Senhor...

- Pai?
- Oi, filha...
- Preciso de uma coisa...
- Eu já sabia!
- Lógico! O Senhor é onisciente!

 
- Mesmo que não fosse... Você só me procura quando precisa de algo!
- Isso não é verdade! Eu sempre volto para agradecer!
- O seu agradecimento é automático. Não há profundidade no que você diz... é só uma obrigação...



- ...
- Mas diga-me, do que está precisando?
- ...
- Não fique assim! Você sabe que só falo essas coisas para o seu bem...
- ...
- Diga, filha... por favor... o que você queria mesmo?
- Eu queria... eu... eu quero... preciso de um coração novo!
- Filha...
- Me perdoa, Pai?
- Você sabe que tem o meu perdão...

4 comentários:

Eder Barbosa de Melo disse...

Desde de quando conheci seus blogs, posso dizer que uma das coisas que mais gosto é o fato de você redigir com o coração, enquanto eu estou pela metade, você está inteira nessas linhas é como se eu pudesse te ver e sentir o que sentes... Meio louco esse negocio de blog...

SMS recebido. Valeu!

Kleidianne disse...

Eder, nisso eu concordo com vc... não consigo te encontrar de verdade em alguns texto que poderia ter maior carga emocional... você escreve muitas vezes sobre sentimentos, mas não escreve com eles... Talvez isso seja uma qualidade... talvez você nunca vai precisar, como eu já fiz, pensar em deletar um blog pq tem muito de vc exposto ali.

Sobre o SMS, recebi primeiro! rsrs Só retribui a gentileza...

Amana C. disse...

que lindo!

eu me arrepiei.
sério!

Eder Barbosa de Melo disse...

Não sei se é uma qualidade, mas no momento, sei que estou pela metade, estou "recortado" rsrs e não consigo mudar, nem sei se quero. São apenas partes de um todo que nem todo mundo conhece.

Aproveito e te convido pra ler as respostas do texto "anti-héroi", que tá entre os mais comentados, depois voce me diz o que achou tá! E eu te mostrar antes, mas acabei esquecendo. Em breve tô de volta.