terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Deixando milagres para trás...

Imagem via {weheartit}
"E quando acabou de falar, disse a Simão: faze-te ao mar alto, e lançai as vossas redes para pescar. E, respondendo Simão, disse-lhe: Mestre, havendo trabalhado toda a noite, nada apanhamos, mas porque mandas, lançarei a rede". Lucas 5. 4-5.

O texto de Lucas 5 é bastante conhecido. A pesca maravilhosa. Simão e seus companheiros haviam trabalhado a noite inteira. O trabalho noturno maltrata o corpo e a mente por ser realizado quando deveríamos estar descansando. Estudos comprovam que o fato de não dormir à noite torna a pessoa ranzinza, mal-humorada.

Imagine então o mau humor causado por uma noite inteira de trabalho sem resultados. E quando o dia raiou, ainda havia mais trabalho a ser realizado. Estavam lavando as malditas redes com as quais não pescaram nada quando aquele homem chegou pedindo que o levassem a um local afastado da multidão para que falasse a ela com calma.

Simão guardou dentro de si a frustração, o cansaço e o mau humor e o levou. Esperou com paciência que terminasse de falar e aí sim veio o pedido mais absurdo. Simão sentiu a raiva percorrendo seu corpo. Ele era pescador experiente, conhecia aquele lago há anos e sabia que, se não haviam pescado nada a noite inteira, não adiantava lançar as redes mais uma vez.

Ao mesmo tempo, Simão sentiu algo novo o invadir: a fé. Ouvia falar daquele homem, tinha visto a autoridade com que falava à multidão, ouviu dizer que era o Messias anunciado por Isaías... Controlou-se e deixou bem claro àquele homem que reconhecia a sua autoridade e o obedeceria, mas que, no fundo, não tinha muita esperança de que a pesca daquele dia fosse diferente de toda a noite.

Quando os barcos foram inundados de peixes, Simão envergonhou-se. Teve certeza de que aquele homem havia realizado um milagre em benefício dele e de seus homens cansados. Teve certeza de que aquela fé que começou a arder dentro de si era legítima.

Terminado o espetáculo, Jesus os convida a pescar homens e Simão deixa tudo para trás.  A maior pesca que já haviam realizado, a possibilidade de ganhar muito dinheiro com ela, de se alegrar com aquele milagre. Eles deixaram toda aquela bênção para trás. Sabiam que aquela fartura havia sido proporcionado por Jesus e que, sem ele, todas as demais pescarias poderiam ser apenas cansativas e frustrantes. Um dia, aquele milagre ficaria apenas na memória.

Eles obedeceram a Jesus quando estavam cansados e frustrados; obedeceram a Jesus quando estavam sendo parte de um grande milagre; e, obedeceram a Jeus quando este pediu que deixassem o milagre para trás e o seguissem. Mais do que viver um milagre em suas vidas, eles seguiram, com Jesus, por um caminho de milagres.

Me pergunto se tenho me apegado demais às bênçãos que Deus me concede a ponto de desobedecer ao seu chamado. Se tenho me ocupado demais comercializando os peixes da minha pesca milagrosa enquanto Jesus segue sem a minha decisão de ir logo atrás. Que as bênçãos que Deus nos dá não sejam usadas por nós como impecilho para realizar a sua obra.

Originalmente publicado no Santa Menina.

2 comentários:

elly disse...

oi
conheça meu blog
Siga e estará participando do sorteio automaticamente
http://coisasdeladdy.blogspot.com

bjs

Eder Barbosa de Melo disse...

Te confesso que andei com uma preguiça danada de ler este texto, mas valeu a pena. Tenho me questionado a respeito, afinal do que adianta ganhar o mundo inteiro e perder-se a si mesmo? Amei o texto. Forte abraço e tá chegando a hora...

Ah merchan do CD da Aline Barros é menas rsrsrs